sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A porta da frente e a porta dos fundos

Porta da frente
Estão assim há uns três ou quatro meses. Desde a manhã de sábado - ou domingo, não lembro bem - em que, por uma curiosa coincidência, as máquinas asfaltadoras da prefeitura puseram um tapete negro na rua horas antes da festa de lançamento do empreendimento. E que festança! Só vi à distância, passeando com o cão pela calçada oposta, mas não me espantaria se me dissessem que estavam presentes todas as autoridades políticas, militares e eclesiásticas da cidade.

Porta dos fundos
Desde então, todos nós, moradores do bairro, temos de mudar de calçada, ou caminhar pela rua, ao passar pela porta dos fundos do empreendimento - que vai de um lado a outro da quadra - porque o passeio foi, e assim segue até hoje, totalmente destruído. Quando chove, então...  

A minha vizinha costuma dizer que o diabo mora nos detalhes. Sabedoria popular é fogo!

Eu, que não creio em Deus nem no diabo, só em fantasias políticas, peço à prefeitura que aplique a essa incorporadora antissocial uma punição exemplar e educativa para ambas: cobrar, pela outorga onerosa do direito de construir cada m2 excedente ao coeficiente básico de aproveitamento de terreno aplicável a este empreendimento, preço igual ao de 1 CEPAC na OUC Centro de Niterói!




2014-01-17

Nenhum comentário:

Postar um comentário