domingo, 20 de janeiro de 2013

Força estranha

Fonte: Internet*
Anos atrás, em algum momento do processo de preparação da cidade do Rio de Janeiro para o Panamericano de 2007, num debate realizado na Associação Brasileira de Imprensa um conhecido político e administrador público ligado à área de transportes, extasiado com a explanação do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro sobre a importância do PAN para o desenvolvimento do Rio e o fabuloso legado que ele deixaria para a cidade, exclamou:

— Ah, por que não decidimos de uma vez deixar ao Comitê Olímpico a tarefa de governar a cidade?

Oratória? Vaticínio? Só sei que diariamente eu me pergunto sobre a estranha natureza desse poder que tem o Comitê Olímpico Internacional, de fazer com que todos os governantes do planeta se curvem, mais ou menos voluntariamente, aos seus desígnios! 




http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/redacao/2012/04/30/prazo-para-inscricoes-acaba-e-nuzman-sera-o-unico-candidato-a-presidente-do-cob-entre-2013-e-2016.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário