quarta-feira, 12 de março de 2014

O Porto e a Bolha


Montagem: abeiradourbanismo
Imagens originais Internet
Por mais focados que estejamos nas especificidades do nosso mister, não há de escapar aos arquitetos e urbanistas que o condão “regenerativo” da maior parte das Grandes Operações, ou Grandes Projetos, urbanos de nossa época é mera externalidade - positiva para o nosso páthos profissional - do poder que tem a combinação dos fatores localização centralterra públicaturismo internacionalcentros empresariais e, eventualmente, habitação gentrificada de alentar economias urbanas cronicamente deprimidas com espirais ascendentes de preços imobiliários. 

A flagrante similaridade dos programas, recursos e métodos de gestão - sem falar de arquitetura e aparato simbólico - dos Grandes Projetos de revitalização de áreas centrais obsolescentes é testemunha de sua subordinação à dinâmica e às necessidades do mercado financeiro global.

As ondas de choque do estouro da bolha imobiliária em 2007 podem fazer do Porto Maravilha o último Grande Projeto Urbano do seu gênero. A pergunta, a esta altura, é se, como e quando ele poderá se completar. 


2013-11-23


Nenhum comentário:

Postar um comentário