domingo, 8 de julho de 2012

Niterói: Por uma coligação em defesa da cidade



As três fotos ao lado foram tiradas da minha janela, em três datas diferentes deste ano de 2012.

Para cada um desses dias, uma explicação particular: problemas de manobra, vazamento no ramal, obras na adutora.   

Não bastasse, toda semana temos queda de energia.


Sem falar das ruas abarrotadas de automóveis. 

E inundadas com quaisquer 15 minutos de chuva forte. 


Só um idiota não percebe, e só um cínico é capaz de negar, que esta cidade não está preparada para o boom imobiliário que, literalmente, a assalta.  

Como pode uma cidade ser tão rica e tão precária? Tanta aparência de qualidade urbana na Zona Sul e tanta realidade de abandono urbano na Zona Norte

Quanta concentração de riqueza fundiária se esconde por trás do aparente sucesso da nossa Outorga Onerosa do Direito de Construir?  

Os promotores de nosso boom imobiliário - governantes e beneficiários - deveriam ser processados, no mínimo, por crime ambiental.

Nesta eleição, é preciso que os candidatos sejam claros: não queremos mais que a cidade seja governada por prepostos de imobiliárias, empreiteiras e concessionárias.

É preciso suspender imediatamente, sem tergiversações, em caráter emergencial, todas as licenças de obras que intensifiquem o uso da terra além de um "limite de crise" e passar à imediata revisão do Plano Diretor de Urbanismo. 

É urgente que os candidatos que alegam  representar, em Niterói, os interesses e direitos dos trabalhadores urbanos e dos usuários da cidade - PT, PDT, PV, PSB, PCdoB e PSOL - se pronunciem sobre os crimes urbanísticos e ambientais que vêm sendo perpetrados em Niterói.

A população tem o direito de saber o que eles pensam e o que propõem.

Não queremos saber qual aliança tem mais amigos em Brasília, no Rio de Janeiro ou no mundo dos bancos e das empreiteiras.

Queremos uma coligação dos defensores da cidade, do meio-ambiente, da qualidade de vida dos trabalhadores em geral e dos usuários da cidade em particular.

Qual candidato será capaz de construir uma coligação em defesa da cidade?