domingo, 8 de julho de 2012

Festejando com a pulga atrás da orelha: Caio Martins agora é da UFF!


Deu n'O Fluminense de 04-04-2012
http://jornal.ofluminense.com.br/editorias/cidades/complexo-esportivo-do-caio-martins-passa-ser-administrado-pela-uff

Complexo Caio Martins passa a ser administrado pela UFF
Por: Aline Balbino 10/04/2012
(..) O Complexo Esportivo Caio Martins, em Icaraí, será administrado pela Universidade Federal Fluminense (UFF). De acordo com o reitor da universidade, Roberto Salles, o espaço será referência em esportes em Niterói e no Brasil. Ele explicou que recebeu um e-mail do governador Sérgio Cabral, no domingo, informando que a universidade será responsável pelo estádio. (..)  “Queremos estar preparados para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. O estádio precisa ser multiuso”. (..)
Roberto Salles disse ainda que apresentará um projeto para o estádio que incluirá captação de recursos do Ministério dos Esportes para que o local se transforme em um grande complexo esportivo, e serviços à comunidade. "Temos ótimos profissionais de educação física na UFF e o Projeto UFF Esportes onde patrocinamos alunos, funcionários e atletas. Queremos levar esses profissionais para o estádio para que eles possam atender a população, mantendo as aulas de natação e outros esportes. A universidade tem um papel social e queremos manter esse papel ativo".  
(..) o estádio é muito usado como Centro de Iniciação Desportiva onde crianças e adolescentes usufruem de aulas de natação, judô, basquete, futebol, vôlei, ginástica estética e olímpica e jazz. As atividades são gratuitas.


Se a notícia acima se confirma, sem subterfúgios, eu diria que se trata de uma imensa vitória da população de Niterói - para a qual este blog terá dado uma modestíssima, mas gratificante, contribuição; e também que é uma bela oportunidade para que a UFF se converta na mais importante e respeitada instituição pública da cidade - o que, convenhamos, não seria nada mau. 

Curiosamente, porém, o assunto não reverberou como merecia na imprensa,  nas redes sociais, na cidade... e no site da Universidade! 

Convém estarmos atentos porque, a julgar (1) pelo caráter ainda nebuloso da transação que levou à incorporação, também pela UFF, do antigo Cinema Icaraí e (2) pela falta de uma convocação clara, transparente e inequívoca das autoridades responsáveis à construção coletiva de um projeto consistente para a completa reestruturação FÍSICA E GERENCIAL do complexo, com foco na educação desportiva cidadã, não é possível ter certeza de que o governo do estado não está empurrando com a barriga "o problema" Caio Martins à espera da oportunidade para liquidá-lo pela melhor oferta. Cautela e caldo de galinha, dizia a vovó, não fazem mal a ninguém.

Causam-me espécie dois detalhes.

Primeiro, a UFF, uma Universidade Federal, recebe o encargo do Caio Martins... por um e-mail do governador, alguns meses depois desse mesmo encargo ter sido recusado pelo prefeito de Niterói! A inevitável pergunta é: por que o governo do Estado gasta mais de R$ 1 bilhão no Maracanã, para em seguida concedê-l0 de graça a Eike, o Belo, mas entrega à UFF um complexo esportivo semi-arruinado sem investir um mísero centavo na sua recuperação? Estamos falando de um projeto desportivo digno de se chamar "legado olímpico" (coisa que o Maracanã não é!) ou de uma bomba-relógio largada em colo federal?    

Segundo, dois meses depois da notícia sair nos jornais não se encontra uma escassa referência a este relevante projeto no site da Universidade, cuja ferramenta de busca nos responde, com olímpica indiferença, quando consultada a palavra-chave "Caio Martins": A BUSCA NÃO RETORNOU RESULTADOS. Honestamente, leitor: não é um pouco esquisito?

Além disso, inúmeras  questões relevantes encontram-se em aberto.  

Como será feita a transferência do bem público estadual à Universidade? Como ficará a sua situação patrimonial? Estará garantida a sua afetação permanente ao uso público desportivo? Ou será que não haverá nada disso, é apenas um "empréstimo"?  Se é assim, quais são as condições do contrato?

Por que o Caio Martins não foi incluído, desde o começo, na estrutura de apoio à Olimpíada de 2016?  Como serão aproveitadas as instalações do CDCM e de onde virão os recursos? 

O que será feito do campo de futebol e suas arquibancadas - equipamento definitivamente obsoleto e incompatível com o melhor aproveitamento do CM como complexo desportivo em uma região urbana de alta densidade? Como fica a concessão do estádio de futebol ao Botafogo de Futebol e Regatas? 

Serão abertos concursos de idéias e projetos para o aproveitamento desportivo, recuperação arquitetônica e adaptação urbanística do complexo? 

Como se dará a gestão da UFF de modo a propiciar, ao CDCM, flexibilidade administrativa e autossuficiência econômica  sem prejuízo da sua função social?

Resumindo: é o blogueiro que está atrasado com a notícia ou é a decisão que foi tomada nas coxas e nem a UFF sabe ainda se está recebendo um "legado olímpico" ou... um presente de grego?

Aguardemos os próximos capítulos.  



2012-07-08