quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Miles de viviendas en "el quinto carajo" II

Fonte: Sociedad de Tasación/Wikipedia
Segundo o historiador Tony Judt, 500 mil é o número estimado de moradias destruídas na França somente em 1944-45, durante a Segunda Guerra Mundial. 

A associação é inevitável: a bolha imobiliária malbaratou, na santa paz espanhola da primeira década do século XXI, uma quantidade de capital social equivalente ao que foi empregado para reconstruir o parque residencial francês na década de 1950. 

E a expressão "capital social" tem aqui um sentido literal: devido às políticas europeias de resgates bancários, boa parte dessa esbórnia imobiliária privada foi convertida em dívida pública. 

Ou seja, os trabalhadores espanhóis perderam seus empregos, milhares de idosos perderam suas casas e a juventude desempregada do país terá de pagar, quando arranjar serviço, por um fabuloso estoque de residências onde nunca ninguém poderá morar. 

2015-02-11