quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Redenção

Deu no Estado de S Paulo
17-12-2020, por Editorial 
Venda de imóveis impulsiona a economia

O papel que o mercado imobiliário vem desempenhando em boa parte do mundo para a superação da atual crise é completamente diferente do que teve em 2008, quando provocou um desastre de proporções até então desconhecidas no sistema financeiro. 

Miriam Mehler e Francisco Cuoco, os 
autênticos namoradinhos do Brasil,
contemplam o futuro radioso em que 
poderão ter acesso a um co-living de 
20m2 na Vila Madalena pela via do 
financiamento imobiliário a juros 
variáveis, com direito a um modesto 
home equity para os feriados no 
Guarujá, mas exorcizado dos demônios 
da cobiça rentista que, em 2008, 
levaram à breca a economia planetária.
Há pouco mais de uma década, a rápida valorização estimulou negócios com imóveis e sua utilização como garantia para empréstimos bancários, o que acelerava a alta dos preços. Até que o aumento da inadimplência fez a bolha estourar, levando à garra grandes instituições financeiras e gerando instabilidade na economia mundial. Hoje, ao contrário, é o setor que puxa a recuperação da atividade econômica em muitos países (..) [sobre] bases mais sólidas do que a valorização observada nos anos que antecederam a crise de 2008. (Continua)


2020-12-30