terça-feira, 18 de agosto de 2020

Losano 2006: percalços do plano de La Plata

LOSANO G, “La Plata: de la ciudad apreciada a la ciudad ignorada”. Geograficando año 2, no. 2, 2006, p. 201-223
http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.360/pr.360.pdf


Relativamente comuns à escala dos séculos, cidades novas são excepcionalidades no campo do urbanismo, resultantes de processos de colonização de natureza diversa, de políticas estatais de desenvolvimento territorial, do enfrentamento de catástrofes naturais e sociais e do que poderíamos chamar de 'repaginação' do poder político em situações, reais e imaginárias, de clivagem histórica. Ou de combinações dessas circunstâncias.

La Plata foi construída para ser capital da Província de Buenos Aires, posto vacante com a elevação da cidade de Buenos Aires a capital da República Argentina em 1880. Seu projeto, elaborado por um grupo técnico do Departamento de Ingenieros liderado por por Pedro Benoit, “causou forte impressão nos âmbitos nacional e internacional como expressão da pujança de um país novo e vigoroso”.

Este artigo de Gabriel Losano, geógrafo e docente da UNLP, sobre o aviltamento do plano original de La Plata, me conduz a um tema favorito: o conflito entre os critérios projetuais das cidades ex-novo e suas tendências de adensamento e expansão. Embora Losano atribua, com razão, boa parte do histórico de agruras urbanísticas de La Plata a más decisões político-administrativas, não é menos certo que elas traduzem as exigências do mercado de terras, bens e serviços urbanos, fenômeno identificado pelo próprio autor, com palavras distintas, já nas primeiras décadas de existência da nova capital provincial [1882-1912].

Losano alega que “planificar e preservar não implica prejudicar nenhum segmento social”, e que não se trata de “impedir a construção de torres, mas de fazê-las em outros lugares”, de modo a não sacrificar as singulares características arquitetônicas do projeto original. De fato, o projeto de La Plata é um dos mais célebres exemplos mundiais do urbanismo dos traçados e precisa ser protegido. O problema é que essa batalha é tanto mais árdua quanto mais rigidamente a cidade é concebida como “obra concluída, acabada, perfeita”, e mais acirrada é a competição pelos ganhos econômicos que ela pode proporcionar. 

As palavras chaves para este artigo, de apenas 20 páginas, são: modelos urbanos, percepção social, rentabilidade, transformações. (PJ)

___
As frases entre aspas são do autor do artigo. 

A fonte do mapa de valores do solo à direita é

FREDIANI J C, “La expansión residencial en áreas periurbanas del partido de La Plata : Las modalidades expansivas formal cerrada e informal aberta”. Proyecciones (9), 131-165, Memoria Académica UNPL-FaHCE
http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.10498/pr.10498.pdf


2020-08-15